Sou mãe e dona de casa, quero ter meu próprio negócio, é possível? Mercedes, Luciana e Patrícia.

Posted on Posted in Sem categoria

As 3 Marias

Mercedes, Luciana e Patrícia.

Um dia, quando comecei a observar o Céu na minha infância, fiquei apaixonada, e todas as noites observava as estrelas, procurando o cinturão do caçador, cruzeiro do Sul e Sírius, mas sinceramente sempre fiquei fascinada por uma em particular, uma que nós brasileiros nomeamos popularmente de 3 Marias.

Sempre achei o significado das 3 Marias muito romântico. Sempre vi 3 amigas porque irmãs elas não podiam ser. Afinal, que mãe daria o mesmo nome para suas 3 filhas?

Sendo amigas, admirei a lealdade de cada uma delas, estando ali todas as noites uma ao lado da outra. Nunca vi 2 Marias e outra separada, por exemplo. E assim seguiu minha imaginação com as 3 Marias até o fim da minha adolescência.

Hoje, adulta que tornei, infelizmente deixei de admirar essas preciosidades que recebemos de graça pelo Criador.

Iniciamos um trabalho novo no ME CONTE MULHER.
Eu e minha equipe de mídia, fomos presenteados por 3 Marias de verdade em nossa adultisse. Uma história que vale a pena ser lida até o fim, e tirar as simples lições de vida que a MERCEDES, LUCIANA E PATRICIA deixam como legado aqui nesse planeta.

Amei eu Quero

Mercedes encanta com o seu carisma e autenticidade, deixa sua marca registrada por onde passa, moça de gargalhada fácil e gênio forte, segundo as amigas é ligada na tomada.

A “AMEI” ( como elas gostam de chamar) surgiu quando Mercedes percebeu que poderia investir seu conhecimento em designer em seu próprio negócio. Depois de passar 10 anos em um negócio com o seu ex marido, Mercedes entendeu que deveria fazer algo em que realmente fosse apaixonada . “Queria sim, ter uma empresa mais do meu jeito, com minha cara, com meu pensamento. Aproveitei o meu knowhow na área, planejei, montei, e criei a “AMEI”, do jeitinho que eu achava que devia ser “– conta.

Mas a história boa não para por aqui, porque não tem como uma história simplesinha fazer parte do Me Conte Mulher, sem emocionar e incentivar outras mulheres.

O casamento de Mercedes terminou devido ao desgaste do trabalho junto com o marido, mas a garra e a criatividade foi o que fez a AMEI EU QUERO destacar-se na internet.

Ao matricular os filhos em uma escola com a Pedagogia Waldorf, Mercedes conheceu Luciana e Patrícia, que entraram de sócias na “AMEI”.  As três tinham algo em comum: “filhos em uma escola com uma metodologia diferenciada”, e elas precisaram adaptar-se a essa nova realidade. Como Mercedes era apaixonada por bijuterias e acessórios, vendiam essas peças, e criaram paralelo uma linha de Aventais, aqueles que usamos para lavar louças e limpar a casa. Para algumas mulheres já eles caíram no desuso. Eu confesso que uso nos meus afazeres domésticos, porém os que estão a venda hoje no mercado estão longe de encantar como os Aventais que as Empresárias confeccionam. Realmente não é nada comum aos que estamos acostumadas a ver nas lojas, eles têm o cuidado de ser artesanais, feito um a um, inspirados em personagens como Cinderela, Branca de Neve e personagens de época.

O grande lance dessas peças é não usar a estampa com o rosto das personagens, mas criar peças exatamente como a época, o que traz um tom de romantismo e realidade, deixando de lado a sexualidade.

As meninas afirmam que o grande lance é resgatar a essência da mulher em ficar bonita fazendo coisas simples como lavar uma louça. Afinal, porque uma dona de casa tem que ser uma gata borralheira quando esta longe dos holofotes? Elas garantem a feminilidade romântica usando um de seus aventais!

Ampliando o Negócio

Investindo em artesanato elas começaram a atender a demanda dessa escola, que dificilmente consegue adaptar-se ao mercado atual com os itens do material escolar.

Esse vínculo que a metodologia da escola cria, faz com que as sócias Luciana, Patrícia e Mercedes, dediquem meio período aos filhos e a outra parte do tempo criam juntas o plano de negócios da “AMEI”. O que elas dizem, com brilho nos olhos, é facilidade que tem de estar com os filhos e ambiente do trabalho ao mesmo tempo. Enquanto tomam decisões, eles brincam, pulam janelas, fazem arte pela casa, e a flexibilidade da mulher com relação a isso é incrível, afirmam.

Eu consigo facilmente atender um telefonema e responder a um questionamento do trabalho, pedindo para o meu filho descer de cima do armário – ilustra Patrícia.

Outras 2 Marias

A personalidade racional de Patrícia e a calmaria de Luciana completam o trio.

Luciana é observadora e tem o cuidado de colocar cada palavra em seu devido lugar. Desde muito pequena sabia que queria ser professora e o futuro não foi diferente, tornou-se professora dos grandes. Formou-se em tradução e dava aulas para grupos de alunos ligados a uma determinada empresa.

Certa vez surgiu à oportunidade de lecionar em uma escola com a metodologia Waldorf. Como não havia escutado nada a respeito da escola anteriormente, resolveu estudá-la, se apaixonou, e deixou muito claro que quando tivesse um filho ele estudaria nessa escola.

Em 2006 nasceu sua pequena e os planos se cumpriram. Ela foi para a escola, e o destino empreendedor já estava traçado, pois lá, estavam Patrícia e Mercedes., E era o começo de sua jornada empreendedora dentro de uma filosofia não capitalista e seguindo o modo artesão de ser.

Já Patrícia é a parte pratica, racional e rápida de pensar na “AMEI”, mas bastam poucos minutos de conversa para que ela abra o seu nobre coração. Menina de coração grande, segura a emoção quando fala dos filhos, admira o papel da mulher na sociedade, confessa que cresceu achando que faculdade era tudo na vida, e depois de 20 anos atuando em sua área de formação percebeu que algumas coisas não caminhavam como queria.  Não titubeou.  Abriu mão da sua carreira, para fazer algo que realmente satisfazia seu coração.

Faz parte da Waldorf e claro lá conheceu as meninas.

Essas meninas mostram que é possível sim a mulher dos tempos modernos serem donas de casa, mães, esposas, amigas e ainda engajar no mercado de trabalho, com dinâmica e autenticidade.

A flexibilidade de cada uma em adaptar-se a qualquer situação, seja com produtos que atendem determinado mercado, ou tempo para despender atenção aos filhos, e só uma certeza; com organização de tempo e paixão pelo que se faz é possível ter sucesso.

As 11:30 no dia dessa entrevista tocou o alarme do celular de Patrícia, Luciana e Mercedes e adivinha? Hora de buscar os filhos na escola e começar a segunda etapa. Elas se emocionaram, pois estavam relatando a importância de passar qualidade de tempo com os filhos e não quantidade de tempo.

Ensinaram-nos como ter sucesso nos negócios e ser exemplo na maternidade!

Você pode saber mais sobre a Amei Eu Quero em www.ameieuquero.com

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Tumblr

E ai, gostou?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *