O QUE LEVEI E O QUE TROUXE NA MINHA MALA DE 5 KG?

Posted on Posted in Me Conte Mulher, Sem categoria

O que levei e o que trouxe na minha mala de 5kg, de uma viagem internacional?
Quando decidi fazer uma viagem internacional, não fiz planejamento algum, somente decidi, como outras tantas coisas que acontecem em minha vida.

Sou de tomar decisões de última hora, e, no meu caso sempre dá certo, embora dependa da percepção de cada um.

Como minha conexão de volta era muito rápida fui informada de que a melhor opção era ter uma mala de mão, no máximo com 6 kg, pois desta forma evitaria aguardar as malas no despacho e partiria de volta sem atrasos.
Não contestei, e fiz uma mala de 5 kg para 5 dias de viagem fora do meu país!

É difícil de acreditar, porque existe “a lenda” de que a mulher adora diversificar roupas e sapatos, e os cremes, as maquiagens, fora o consumismo, e tudo isso no final tem que caber em uma mala de 23kg que normalmente é o permitido para despacho. Já pensou uma mulher com uma mala de 5 kg?

Confesso que sou mulher e faço parte desta cultura, mas não tive opção, então a melhor coisa foi “aceitar”, e isso foi a primeira coisa que coloquei em minha mala:
-ACEITAÇÃO-
Aceitar as coisas como são pode soar como conformismo, mas discordo parcialmente.
Quantas boas oportunidades estamos perdendo querendo provar que não somos conformados? Aceitar as coisas como estão faz fluir, deixa um vácuo para ser preenchido pelo agora, e a mudança ou mutação necessária será mais natural aceitando as coisas como são.
Depois de aceitar que minha mala seria pequena, precisei escolher o que levar, e a segunda coisa que coloquei na mala foram as “escolhas”.

-ESCOLHAS-
Sou prova viva de que é difícil escolher entre uma coisa ou outra, e isso foi um treino e tanto, qualquer escolha errada poderia me deixar dias sem o básico e necessário, caso optasse pelo supérfluo. Nossas escolhas embora muitas vezes parece ser difíceis, são muito mais simples do que imaginamos, escolher o simples, escolher o certo – que muitas vezes não é o melhor -, escolher o necessário, escolher o que melhor se adapta, pode parecer não ser uma boa escolha na hora, mas no final que sensação prazerosa de saber que fizemos a melhor escolha.

Quando existe um planejamento de viagem, embora tudo não saia nos mínimos detalhes, sabemos pelo menos qual a programação necessária e gastos que podemos fazer. Como não houve planejamento nenhum, viajei com o mínimo necessário para não gastar- risos -, e fiz um roteiro para quatro dias sem prever nenhum risco do que poderia dar errado, e a terceira atitude que coloquei na mala foi o “se joga”!

-SE JOGA-

Às vezes precisamos entender que o nosso agora é o melhor presente que podemos desfrutar, esperar que o futuro seja um presente, além de ser uma confusão de palavras pode se tornar uma regra de vida, e isso pode causar frustrações desnecessárias, afinal quantas pessoas conhecemos que esperam acontecer algo que nunca alcançam? Isso não quer dizer que não devemos nos planejar para projetos e objetivos, “se jogar” quer dizer muito mais que anular planejamentos, significa aceitar o presente nos dado hoje e agora .

A viagem foi fantástica, um presente aceito, uma escolha feita, aceitei as condições que tinha para o momento, e me joguei para viver essa experiência inesquecível!
Guardo as lembranças, as histórias, o cheiro, as paisagens, a cultura, e é claro o, AMOR… Há o Amor ….

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Tumblr

E ai, gostou?

Comentários