O que pensa uma mulher adulta? Um texto sobre Medos e Amores.

Posted on Posted in Me Conte Mulher

O que pensa uma mulher adulta? Um texto sobre Medos e Amores.
Hoje escutei a história de um término de casamento. Como tantos outros que acontecem todos os dias. A conversa não foi direcionada, estávamos em uma roda, aonde haviam 2 pessoas solteiras e 2 pessoas casadas.

O cenário; 2 pessoas querendo se casar, em busca do grande amor da sua vida, e outras duas pessoas extremamente insatisfeitas com o comportamento de seus parceiros querendo se separar.

Os solteiros resolveram se calar, porque o grito de desespero dos casados soava mais alto.

Então ouvimos.

E depois dessa triste conversa eu descobri porque sou solteira ….

Foi chocante.

  1. De um lado um pai amoroso, presente, jovem e sua jovialidade querendo alcançar alguns horizontes que não são distantes, mas a falta de parceria de sua parceira, torna qualquer situação impossível. Um jovem pai querendo estar casado, com mais amor, mais cumplicidade, mais lealdade, mais amizade, mais curtição a dois.

       2. E do outro lado sua mulher achando que já viveu tudo com seus 20 e poucos anos tornando a juventude um marasmo           de velhice tola, deprimente, sufocante, obsessiva, e sem paixão 💔

E daí me afundei em meu cérebro no lugar que pensamos, e fiquei me perguntando, por que ela não torna as coisas mais fáceis ?

Por que ela não se envolve em uma paixão estonteante com esse marido e arrasta ele para a loucura de seus desejos?

Por que ela não dá a volta por cima?

Por que ela não o deseja tanto, querendo tê-lo como um todo?

Nada de resposta do meu cérebro, afinal ele não tem experiências que possam responder todas essas perguntas.

A história da mulher casada que quer se separar foi chocante, e respondeu todas, todas as minhas perguntas da forma mais dolorida, da forma mais triste que o meu cérebro podia transmitir para o meu coração

Uma jovem mãe, dedicada, bonita, inteligente, sufocada por um homem machista, aprisionada por um egocêntrico.

É tão simples Senhor marido dessa jovem mulher, ela só quer ser feliz!

Ela quer que você a queira da forma mais singela, mais desprendida e sem obsessão.

Ela quer ser respeitada por um hálito sem cachaça.

Meu senhor jovem, e perdido marido, sua esposa quer seu olhar sereno presente de verdade, sem juras eternas de amor, mas com respeito!

Ela deseja que você seja responsável pelas suas atitudes e por você mesmo, coisas de homem, me entende?

Ela não espera muito, como você repetidamente joga na cara dela sempre que chega cansado do serviço, ela deseja pouco.

Pouco do básico, um pouco mais de respeito do nada que existe, um pouco mais de vaidade só o mínimo para se apaixonar, um pouco mais de atitude paternal, coisas como: abraço, beijo, olhar, cafuné, cheiro, cafunga, cosquinhas, coisas que se esperam do papai

Ela quer te ver feliz consigo mesmo, e a capacidade dessa felicidade te completar, independentemente de estar com ela, isso se chama amor próprio e normalmente conquistamos pessoas somente com o amor próprio.

Ela cansou do amor abusivo, dói a responsabilidade de que você pode beber até morrer e a responsabilidade ser dela, isso se chama, terceirizar a dor.

Ela cansou de preparar o jantar e você não preparar a mesa, isso é falta de cumplicidade, pois o óbvio cansa as almas que anseiam felicidade.

Moço da alma perdida, sua jovem mulher não quer mais escutar o barulho das coisas se quebrando com sua ira descontrolada, falta de domínio próprio afasta qualquer mulher que busca refúgio em um Porto Seguro.

Depois de escutar o relato dessa moça sem nenhuma palavra poética, mas somente com lágrimas e uma brasa de cigarro para acalmar, conclui:

Tenho medo! Tenho um medo danado, de escutar o portão bater e um alcoólatra entrando em casa.

Tenho medo de machucar meus ouvidos com gritos ensurdecedores de xingamentos sem fim.

Tenho medo, muito medo da possessão, -espiritual?- não ! Possessão humana, a pior espécie que existe.

E do amor abusivo?

Deus me livre, sempre me livre, me livre agora, me livre pra sempre…

Tive medo de escutar o dia-dia dela e de tantas outras e outros que acham que o sentido da vida é encontrar um amor para dividir seus dias.

Conclui que sou uma besta!

Preciso de mais uns anos de terapia.

Mas a melhor coisa foi descobrir meus medos, acabou meu tempo de culpar o outro!

E se alguém me perguntar: – Por que está sozinha? Por que não namora? Por que não deu certo com fulano?

Só vou responder : Porque tenho medo!

Acredito que muitos e muitos vão entender, na mesma proporção de pessoas que querem se separar…

O sentido da vida não consiste em encontrar alguém e dividir os dias.

O sentido da vida consiste em ser feliz com você mesmo e cuidar dos seus medos!

O resto simplesmente vem…

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Tumblr

E ai, gostou?

Comentários